sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Revolução de 1930

Os tiros ecoavam pelas ruas. Todos trancados em suas casas. O clima era de verdadeiro pavor nas proximidades do quartel. Os rebeldes continuavam resistindo. De arma em punho, o soldado Acy se protegia na entrada de uma casa na rua Moron. Olhou para a direita e decidiu se jogar num buraco do esgoto. Carlota, sua irmã que já morava em Rio Grande, por acaso bem perto dali gritou: "Vem, te esconde aqui dentro de casa"! Acy respondeu: "E tu acha que eu vim de Pelotas pra lutar aqui e vou ficar escondido dentro de casa?"

Inicialmente as tropas de Pelotas, favoráveis a Vargas conseguiram invadir o quartel. Acy foi um dos primeiros a entrar. Porém tiveram que recuar devido ao tiroteio. No final das contas, os renegados se entregaram. Por bravura Acy foi promovido a sargento... Era 1930 e Acy Portella estava tendo uma bem tumultuada passagem pela vida militar.

Ainda nessa época, Acy e a tropa toda viajaram até o Rio de Janeiro de trem para lutar na revolução, mas como a viagem era longa, ao chegar, as coisas já haviam se acalmado. Além das belezas naturais da cidade, o jovem Acy teve o privilégio de ver o Cristo Redentor ainda em construção.

Durante toda a caserna foi muito popular entre seus colegas pois já fazia pequenas apresentações para eles. O pessoal juntava as cadeiras para assistir, o comandante do batalhão era seu fã declarado. O showman (expressão que ainda não se usava na época) estava surgindo.

Um comentário:

Bruno Farias disse...

Caros primos,
Meu tio-avô Osvaldo Portella Farias, sobrinho de Acy Portella, contou:
"uma vez na qual seu tio Acy foi fazer uma apresentação na colônia. Um guri novo foi buscá-lo de carroça no final da linha do ônibus e, já transportando o ventríloquo, foi vítima de uma brincadeira.
Ao passarem por uma vaca, Acy disse poder se comunicar com ela e, usando suas habilidades de ventríloquo, fez o garoto pensar que o animal realmente falava com ele.
À medida que seguiam a estrada ele repetia a brincadeira com outros bichos: um cavalo, uma preá, um passarinho, etc, sempre fazendo o garoto achar que ele realmente falava com os animais.
Até o momento que se aproximaram de uma cabrita num local bem próximo ao destino. Foi aí então que o menino disse para Acy Portella:
- Não dá conversa pra essa cabrita não pq ela é mentirosa..."
Abraços!